terça-feira, janeiro 20, 2004

O Absoluto

Consumidos pela fome, ensurdecidos pelo frio, apavorados pela doença, que também é frio, na face da decadência, que também é fome, sentindo nas costas os polegares gélidos da morte, nas ilhargas os outros dedos, assim, assim só nos ocorre o absoluto. Pensamos na dimensão do universo e na difícil justificação das coisas dos homens.

Sem comentários: