quinta-feira, fevereiro 26, 2004

Ainda o Carl Hoff

Um amigo do Meia Livraria e do Carl Hoff enviou um mail para a caixa de correio deste blogue, que, pedida a autorização ao autor, publico aqui:

Caro Cláudio,

Sou um mau xadrezista (tinha a intenção de começar esta frase com fui, mas já interiorizei a ideia de que nunca se deixa de ser xadrezista). Jogo o que posso, estudo o que está ao alcance de uma vontade amordaçada por horários e outras obrigações. Tudo somado resulta em muito pouco.

Apesar de tudo, também tive a feliz oportunidade de conhecer o Carl Hoff e de poder conversar com ele. Na altura, eu havia iniciado o estudo da língua alemã e esse motivo serviu para iniciar uma interessante conversa que se estendeu a outras latitudes. Gostei muito de falar com ele e a conversa ficou na memória. Os restantes contactos foram esporádicos, mas valeram a pena.

Conhecer personagens destas é um grande bónus de frequentar o meio xadrezístico.

Hoje, aqui na Irlanda, também despejarei uma pint à memória das pessoas que valem a pena!

Um abraço,

Pedro

Sem comentários: