sexta-feira, abril 09, 2004

Ainda Saramago

"(...) tenho demasiadas dúvidas sobre as suas ideias. E, no caso presente, muitas dúvidas sobre o seu romance. Mas isso é outra coisa completamente diferente. É literatura. E, em matéria de literatura, este livro é um caso encerrado. Tudo o que nele é literatura está esmagado pelo peso superlativo da moral e da pregação."

Assim escreveu o Aviz a respeito do Ensaio Sobre a Lucidez de José Saramago. Concordo (já o tinha publicado no Meia Livraria) em especial com a frase "É literatura." e com o esmagamento da mesma pela conotação moral e envangelizadora que a obra angariou nestas semanas.

E se é certo que o próprio autor contribuíu para o acender desta polémica, não menos certo é o facto de, na ausência em Portugal de quem critique literatura, sobrar quem se delicie com análises superficiais e imediatas dos aspectos óbvios das obras literárias.

Sem comentários: