quarta-feira, abril 14, 2004

Os Reféns

Começou há cerca de uma semana a caça ao estrangeiro no Iraque. Os mais valiosos aparentam ser os que para lá foram em missões humanitárias em ajuda do povo iraquiano. Apanhar um desses cidadãos parece ser um bónus para qualquer patriota iraquiano. Pode não dar direito às famosas setenta virgens no céu, como no caso dos mártires, mas dará, seguramente, acesso a uma quantidade menor ou, pelo menos, a dezenas de jovens com poucos parceiros sexuais conhecidos.

De qualquer forma, essa práctica iraquiana parece servir às maravilhas os interesses de quem ocupa, cujos únicos eventuais antagonistas serão os caseiros e a quem a resistência iraquiana pouco interessa. Quanto mais brutais e grotescas as reacções de sunitas e quejandas tribos, maior será o desinteresse ocidental pelas baixas iraquianas, pelas consequências realmente trágicas da ocupação. E se por cá, Europa e América, não nos interessarmos pelo povo iraquiano, quem lhe poderá valer? O Bin Laden?

Quanto às caridosas e aventureiras almas pacífistas que por lá andam, em defesa dos povos oprimidos, vejam que serviço prestam ao invasor! Será para isso que lá vão? Sois uns cabeças de vento! E dentro de pouco tempo nem isso serão, nem cabeça terão!

Sem comentários: