terça-feira, junho 29, 2004

Decisões

Alfredo terminara os seus estudos cedo. Não tinha cabeça para a escola, ele mesmo o dizia. Após um par de anos a dar serventia a electricistas e canalizadores, lá chegou à maioridade. Tirou a carta de condução de ligeiros, motas e pesados e agora Alfredo era um camionista.

Este era o seu primeiro serviço no trânsito internacional, que o levaria do terminal de Alverca à cidade de Paris, carregando ostras de Setúbal num contentor frigorífico. Carga preciosa, portanto. Tudo corria bem, a viagem, iniciada de manhã, não poderia ser mais agradável, um óptimo tempo, nem frio nem calor, nada de peripécias nem de acidentes, enfim, um início auspicioso.

Mas o jovem Alfredo por vezes, ao entardecer, era acometido por fulgores religiosos, por travadinhas místicas, enfim, era aparentemente chamado pelo Divino. Ouvia esse chamamento desde os tempos em que, ao dar serventia a um canalizador, viu a Nossa Senhora desenhar-se e sorrir-lhe no estuque atacado por sais, descoberto após o arranque dos azulejos que há décadas cobriam a aparição. E desde então ouvia, sempre que o Sol se punha, uma voz que o chamava. O que dizia, não sabia ao certo.

Nisto matutava Alfredo enquanto cruzava terras castelhanas e se punha agora o Sol à ré do camião. De súbito, já perto da cidade de Burgos, vislumbrou à sua esquerda o que lhe pareceu ser uma torre sineira. Era a catedral de Burgos! Não hesitou. Encostou o camião carregado de ostras à beira da estrada e assim mesmo, a pé, dirigiu-se à catedral!

Alfredo tinha mudado de carreira. Assim, de um dia para o outro, descobrira a sua vocação. Agora seria um sacristão. Tinha compreendido o chamamento ao ver, do seu camião, a torre sineira. Seria ali que encontraria a sua felicidade, o seu caminho. Enquanto calcorreou o caminho entre o camião e a igreja interrogou-se: Que terá ganho a Itália com o facto de Romano Prodi ter sido presidente da comissão europeia? Mas não vacilou.

Dois dias depois, alertados pelo nauseabundo cheiro dos bivalves em putrefacção, as autoridades locais contactaram a empresa proprietária do camião.

5 comentários:

Francisco disse...

Alfredo só pode ser sacristão. O rapaz tem poucos estudos, vistas curtas, para ser Padre.

Magnif disse...

Dá gosto ver que a inspiração voltou em força!!

Anónimo disse...

e as ostras, que lhes aconteceu

Cláudio disse...

Temo que as ostras tenham um fim sinistro. Muito dependerá de quem se apoderar do carregamento.

Anónimo disse...

Tb fiquei preocupada com as ostras... especialmente com a "ostra do 7º dia", a q acaba sp por estragar a orgia a quem lhe deite o dente :)

m. (Azul Cobalto)