domingo, junho 06, 2004

O Multiplicador

Esta é a história verdadeira do homem que multiplicava tudo por dez. Nunca o conheci, ouvi a sua história numa daquelas fogueiras, junto à estrada, onde estas coisas se contam. Neste século, o XXI, essas fogueiras são restaurantes, o que nada retira em assombro e magia ao que se vai contar.

Numa taberna no interior do país, numa daquelas mais modernas, que já possuem máquina de café, um cliente pediu ao empregado de mesa uma bica normal e um descafeínado. De pronto ouviu, "Dez cafés e dez descafeínados!", era o grito do homem para o dono da tasca, que se entretinha a limpar o balcão com o avental. "Vai já!".

Espantado, o cliente perguntou-lhe: "Quanto é?", tendo o homem respondido: "10 euros, se faz favor." Nisto, o dono da tasca tirara os cafés e espremera o vinho tinto salvo pelo avental para dentro daquela peça metálica que nas tabernas se usa para levar os copos de três. Chamou o nosso homem. "Aqui estão", disse.

Entretanto entra outro freguês que pede: "Uma grande penalidade, tinto, se faz favor!" e o nosso homem: "São dez pénaltes tintos!". Divertido, o primeiro cliente pergunta ao multiplicador, "Por curiosidade, quanto mede o meu amigo?", "Pouco menos de 18 metros..." respondeu. "Então, traga-me mais 10 cafés!". "Cem cafés aqui para estas dez mesas!"

Nessa noite, o homem que multiplicava tudo por dez dormiu as suas costumeiras 75 horas de sono. Essas, ninguém lhas tirava!

Sem comentários: