segunda-feira, agosto 23, 2004

Submarinos e Barcos de Dois Canos

O navio do Mal aproximava-se da costa do país de Bem. Comprados havia pouco tempo, em regime de leasing, dois submarinos partiram das profundezas do Tejo. No gabinete em São Pedro do Estoril, o ministro do mar passava a fina mão pelo longo nariz. Valeu a pena esta compra, pensou. O barco maldito não passará.

Na sua cabeça ecoava, pungente e indesejado, o refrão de uma há muito esquecida melodia de Jorge Palma: "No Barco do Aborto podes ser quem tu és; Ninguém te leva a mal..." Enquanto isso, saíam a 240 km/hora dois torpedos de modelo muito em voga na guerra da Coreia e muito em conta no mercado de Youngstown, em direcção ao indefeso casco da nefasta embarcação.

2 comentários:

Francisco disse...

Provavelmente o ministro também brinca aos submarinos com alguns dos seus muitos assessores (os de origem africana), a diferença é que ele ofereçe o alvo para ser torpedeado.

Tino de Rans disse...

Não acredite nesse Sócrates, um vendido à imprensa cor-de-rosa. Sou eu a verdadeira esperança do PS e de Portugal, oriundo do Portugal profundo que trabalha e não de uma qualquer secretaria ou discoteca.