quinta-feira, dezembro 30, 2004

Um Conto de Natal (3)

Barnabé tinha razão. Todos sabiam qual era a causa das suas desgraças. Silveira, farto de tanta hesitação exclamou, com as faces púrpuras de ira e de vinho: "Temos de acabar com a maldita fábrica!" Animados com a ideia, começaram de imediato a conspiração! "Talvez sabotagem!" alvitrou Alfredo, "Mas tinha de ser coisa bem feita", rematou. "É muito brando. Há que dar o exemplo, para que outras fábricas não venham depois a colmatar o que nesta se estragar" respondeu Barnabé.

Aquela tarde terminava com Lucinda pelas ruas, de recipiente cheio de azevias na mão, rumo à pastelaria que lhas compraria. Pensando no pago e nos filhos e no marido e na vida e em tudo o que pensa quem pelas ruas anda, há dez anos havia aqui uma fonte encanada, agora está aqui este prédio, enfim, antes não existia aquela maldita fábrica, que lhe atormentava a vida, e nestes pensamentos ia Lucinda quando chegou a quem lhas comprou e pagou as azevias. Negócio feito, saíu Lucinda e foi para casa. E porque os nomes importam, chama-se a pastelaria onde vende Lucinda os seus fritos "O Rei da Lícia".

Os conspiradores sairam da tasca do Chico com o desígnio firme de trazer no dia seguinte ideias concretas e sóbrias de acção e mais gente para a causa. Não havia tempo a perder e antes do Natal tinha que estar resolvido o problema. Se, de alguma forma, se conseguisse neutralizar a fábrica, talvez ainda se aumentasse a clientela e melhorar o negócio. Só assim.

Alfredo encontrou Lucinda à porta de casa. Cheirava um pouco a vinho mas trazia nos olhos a esperança e a alegria dos determinados. Contagiada, Lucinda esqueceu o hálito etílico de Alfredo e perguntou-lhe pelo dia. O homem disse à mulher: "Isto agora é de vez!" Entraram em casa e Lucinda, preocupada mas entusiasmada, adivinhou, "Vão à fábrica?". Três meneios de cabeça disseram que sim.

(Continua)

4 comentários:

vmiguel disse...

Isto vai acabar num ataque terrorista, bem a modos das "forças do mal".

sibylla disse...

Golpe de estado febril (uups...fabril);o)

Carlos Gil disse...

Um grande '05, amigo!

mfc disse...

.... e agora?!