sexta-feira, janeiro 21, 2005

Torga e Outros Esquecimentos

Ocupado com o meu conto natalício, deixei passar os dez anos do desaparecimento de Torga. Esqueci também o centenário da morte do Rafael do Zé Povinho e do seu inseparável manguito. Se da beleza granítica e serrana da dura prosa de Torga nunca nos livraremos, assim se continue a falar português, e ainda bem, já dos manguitos e das tristemente perenes qualidades das nossas gentes e políticos, que tão bem representou Rafael Bordalo Pinheiro, ainda mal.

A minha compreensão e leitura da obra de Torga aumenta a cada dia que passo nas inóspitas terras da alta beira, severamente interior. Sem Torga não veria os contrabandistas do Soito e de Quadrazais, não veria o guarda fiscal escondido, nem o miserável ceando com bonecos de pau numa igreja em Nave de Haver, ou em Vila Boa, ou no Rendo. Seriam apenas negras as figuras que, ao lado de burros e de carroças, transformam em jogos de azar qualquer viagem automobilística no lusco-fusco das esquecidas estradas nacionais do interior. Não são só negras, nem só trágicas, nem só o que quer que seja, são o que delas fez Torga nos seus contos e nas nossas almas. E quando um Escritor nos faz ver para lá do que pode ser visto, quando dá cor, ainda que plúmbea, ao que antes era invisível, então passamos a distinguir o negro das vestes das gentes do negro das noites. E até do vazio das nossas almas. E, já me esquecia, sem Torga estaria perfeitamente indefeso ante o Alma Grande.


A Granítica Face de Miguel Torga

5 comentários:

mfc disse...

Um Senhor na escrita e na vida.

GoG disse...

essa da granítica tem a sua piada... lá na terra dele, parecem todos irmãos, são todos parecidos... :)

Francisco disse...

Sou mais um fã de "bichos" e, talvez por ser de Lisboa, que o meu preferido é o Vicente.

leitora disse...

Na nossa casa estamos dedicados à Criação do Mundo. Gostei de ler estas palavras. Gostava que pudesse participar na nossa leitura, que lesse Torga connosco. Para alargarmos a panorâmica sobre este autor, a sua delicadeza e a sua rudeza.

Fica o convite, e desculpas em caso de abuso.

Cláudio disse...

Gostaria muito de visitar a "casa" da Leitora, mas não nos disse onde ficava e o seu "profile" também nada diz. Por favor, diga-nos onde fica a "Criação do Mundo"!