sábado, abril 30, 2005

Conflitos em Timor

Os recentes acontecimentos no nosso amado Timor, com violentos confrontos, questionam a utilidade dos lenços brancos e velinhas que acendemos, por Portugal fora, em 1999. Se as bandeiras nacionais de 2004 sempre deram o título de vice-campeão europeu de futebol à pátria lusitana, os lencinhos brancos por Timor para nada serviram. Conflitos entre o governo e a igreja católica? Querem obrigatoriedade de aulas de religião e moral? Valha-lhes deus! Percebe-se agora porque razão os indonésios entregaram com tanta facilidade aquela região à sua sorte! Livra!

"Talvez se devesse ter auscultado mais a hierarquia católica" antes de se ter tornado facultativo, e já não obrigatório, o ensino de Religião e Moral, reconheceu já o ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, José Ramos-Horta, que em 1996 partilhou com Ximenes Belo o Prémio Nobel da Paz, pela acção de ambos contra a ocupação de Timor-Leste pela Indonésia."

Absolutamente sinistro.

3 comentários:

Incompetente disse...

Problemas quase normais numa democracia embrionária, cujo povo é vincadamente católico.

Paradoxalmente, Timor fica "enclavado" no maior país muçulmano do planeta.

Um abraço incompetente

Francisco disse...

Isto é o acontece quando os católicos se irritam. Começam a perseguir pessoas, a tortura-las, a queima-las em fogueiras.

A Inquisição está viva, no coração dos católicos!!!

Salma disse...

Mas é um Estado laico, atenção. Como Portugal, onde, na sua Alverca "tão linda à beira do Tejo" (parte de letra das marchas populares da bela cidade), onde aconteceu um milagre. Graças a deus e a nós também, segundo consta, houve ontem uma manisfestação de consciência comunitária como, dizem, nunca se havia visto. A igreja continua a ter este poder. E como se viu, até com a história do Papa, é um poder IMENSO!! Começo a achar que é preciso ter (ainda) mais cuidado com estes tipos.