sexta-feira, agosto 26, 2005

A Idade da Reforma

O aumento do limite inferior para a idade de reforma na função pública causará profundas alterações no tecido social português. Os efeitos de tal medida são imprevisíveis mas seguramente devastadores! No entanto, pode-se adivinhar já algumas dessas consequências: A curto prazo reduzir-se-á para pouco mais de metade o actual número de jogadores de dominó na Praça José Fontana. A redução deste contingente condenará à fome centenas de pombos cujos cadáveres em decomposição poderão tornar a atmosfera de Lisboa irrespirável. Perderá a capital do país o seu reconhecido estatuto de pulmão do vale do Tejo que ganhou por um nariz, com os seus jardins e o lendário Monsanto, à custa da queima da Tapada de Mafra.

Lembremo-nos também da grande conquista com a redução do horário de trabalho nos anos 30: O aumento siginifcativo do número de pescadores à linha, tal como afirmado por Romains em 1938. Mesmo este grande passo no progresso dos Homens fica agora posto em causa! Também esta grande façanha do sindicalismo do início do século XX pode agora ver-se reduzida a quase nada. E, no final, quem se ficará a rir? Os peixes!

3 comentários:

Anónimo disse...

Sobre este assunto aconselho a leitura da crónica do Vasco Polido Valente "Nada é Seguro" no Público de hoje, dia 26 de Agosto.
"(...) o Governo quebrou um contrato com 700.000 pessoas, que o supunham de boa-fé. Num país civilizado ( e usemos a palvra com a sua velha e justa conotação de superioridade), seria um caso de tribunal. Um número incalculável de vidas foi irreversivelmente conduzido com sacrificio e trabalho, na presunção de que o Estado não faltaria à sua palavra. O Estado faltou à sua palavra e lavou as mãos das conseguências. (...)"
A retroactividade de uma medida como esta prova que o Estado não é "pessoa de bem". Como diz o Polido Valente "Nada é Seguro".

Leonor

mfc disse...

Mudar as regras a meio do jogo é que me irrita.
Falo com desprendimento, sou um profissional "liberal", mas o Estado não pode quebrar regras sempre que lhe convem.

Santos Passos disse...

Nada como o humor pra enfrentar situações assim. A conspiração parece geral: no Brasil também já está quase aprovado o aumento da idade da aposentadoria compulsória no serviço público. Quem manda o pessoal se por a viver tanto.