quinta-feira, outubro 13, 2005

O Mistério das Carrinhas Brancas

Quem palmilha as estradas nacionais decerto conhecerá o Mistério da Carrinha Branca. Lendário já por toda a Europa, o fenómeno, de difícil explicação, apavora o pacato automibilista lusitano e provoca danos irreversíveis no trato intestinal dos restantes cidadãos comunitários que, por lapso ou genuína ignorância, se atrevem a utilizar o automóvel em Portugal. No entanto, aos extra-comunitários, e sem que nada o explique, o fenómeno parece não espantar.

E que fenómeno é esse, perguntará o funcionário da repartição de finanças do Arco do Cego, que há vinte anos se desloca de casa para o serviço de comboio desde Massamá até Lisboa e que vence a restante légua a cavalo do metropolitano? Para si, Sr. Lopes, serve este artigo!

Um qualquer cidadão, pacato, anódino eleitor do PS, calmo bebedor de minis na tasca, visionador atento de futebóis e até de novelas, com a desculpa esfarrapada de estar de olho nas actrizes, transforma-se misteriosamente quando a bordo de uma carrinha. Mas não de um qualquer furgão: só se manifesta o fenómeno se a viatura estiver pintada de branco! Eis o insólito e improvável de todo o Mistério!

É vê-los ultrapassando pela direita, ao leme das suas "Vito", buzinantes e velozes! Não raro tem o fleumático bigodaças do BMW que saltar da frente dum desses coriscos brancos, quando lhes sente o pára-choques no perímetro de apito do seu 720: Levando o empresário a amaldiçoar a hora em que empregou o subsídio para a criação de novos empregos e para a formação profissional nesta postiça bomba! Mais valia ter comprado uma "Vivaro" branca!

Porquê a côr branca? Qual o efeito que essa nuance cromática tem sobre o condutor? Como atingem essas viaturas as vertiginosas velocidades que a todos espanta? É nestas perguntas, e neste desafio, que reside o alimento para a alma que vos deixa hoje o Meia Livraria!

3 comentários:

Bina Ladina disse...

Ora aí está uma cor de veiculo muito feia.
Qualquer pessoa com um bocadinho a mais de imaginação olha e transforma um vulgo frigorífico com rodas num desses veículos que tu mencionas..
Com tanta cor bonita que por aí há, os proprietários dizem ser a cor mais segura e que menos se danifica.
Será isso justificativo de tamanho mau gosto?

Furão disse...

E não é que é mesmo verdade?
E não é que no meu retrovisor (atenção que o meu carro não é um BMW, e eu não sou nada fleumático ok?)de vez em quando lá aparece uma mancha branca, tudo levando a crer tratar-se de um desses veículos, conduzidos superiormente?
É que não é para todos rodar a 140 coladinhos ao gajo da frente! Estes gajos têm umas mãozinhas!

Um abraço do Furão

Anónimo disse...

While reading this I was reminded of boch toyota you should stop by.