sábado, outubro 29, 2005

Plátanos e o Método Científico

Fiz uma interessante descoberta no campo da botânica e da zoologia, de forma acidental, mas justificadamente científica: O plátano tem um efeito fortemente laxante sobre o passer domesticus, vulgo pardal (Tese). Vejamos o desenrolar do método científico:

Problema: O carro está cheio de dejectos de pardal.

Hipótese: Os pardais, vítimas de um poderoso efeito laxante, não se seguram, mesmo sabendo que existem carros por baixo onde pernoitam.

Experiência: Durante várias noites, estacionei o carro sob diversos tipos de árvore: salgueiros, plátanos e choupos, tendo anotado os resultados pela manhã.

Análise: Comparando os resultados do processo experimental, concluí que era sob os plátanos que os efeitos se mostravam mais devastadores. O resultado final revelou ser verdadeira a tese inicial.

Corolário: A probabilidade de se encontrar lugar para estacionar debaixo de um plátano é superior à de conseguir estacionar debaixo de qualquer outra árvore ou a céu aberto.

3 comentários:

Bina Ladina disse...

Olha que eu julguei que esses passaritos tinham apenas uma vontade sádica de deixar os carros dos humanos ... sujos!
Mas depois da tua observação científica, e perante os teus dados também posso concluir:
- na rua onde eu moro existem Plátanos Invisíveis uma vez que os veículos estacionados também são vítimas do mesmo efeito laxante à exposição aos plátanos.

Furão disse...

Essa probabilidade é comum a qualquer situação em que a componente humana é posta à prova. Contudo, está provado que, como toda a regra tem excepção,apenas os aspirantes a políticos gostam de atravessar longos períodos debaixo de plátanos com a finalidade de um dia serem recompensados com um ramito lá mais para cima.

Um abraço

Mário de Sá Peliteiro disse...

Pior que os pássaros são os cães que têm uns donos muito porcos...