terça-feira, novembro 29, 2005

A Indonésia era Nossa!

Portugal poderia ter encurralado os indonésios em Timor após o 25 de Abril, dizem fontes seguríssimas dos EUA. E nem era preciso gastar muito dinheiro com munição, asseguram as mesmas fontes.

Aquela rapaziada que nos governou após a Revolução dos Cravos era, com efeito, malta de vistas curtas! Poderíamos ser hoje donos de um império com mais de 200 milhões de habitantes e vêmo-nos reduzidos a este canapé europeu (como lhe chamava D. João VI, o pai do Pedro e do Miguel). De Lisboa governaríamos todo o arquipélago indonésio e tudo isso em troca de quê? De meia dúzia de quilos de pólvora e um punhado de cartuchos!

Não ouviram os americanos e deixaram fugir a oportunidade de encurralar os indonésios! E se a todos parece evidente a superioridade física do soldado português face ao militar indonésio, já causa estranheza a não imposição atempada dessa manifesta força.

Deixámos fugir as Índias, o Brasil, o ouro do Brasil, Angola, o petróleo de Angola, os empréstimos do fomento do fim do século XIX, os fundos da UE, o ouro nazi e agora isto! Segurámos, valha-nos isso, o Euro 2004 e um 8º lugar na Eurovisão.


Indonésia: Província de Portugal?

3 comentários:

Cris(nuvemLiLas) disse...

Cláudio, pela parte que me toca - e numa boa - ainda bem que o Brasil deixou de ser colônia portuguesa bem lá atrás. D.João VI era um bochechudo muito fofo - e eu não sabia do "canapé" - e o "Pedro" - o nosso I e IV vosso - era muitíssimo esperto. Amém ! ;)

Kamikaze disse...

Ó Cláudio,

Gostei da fina ironia e do humor cáustico.
A malta até não estaria mal com alguns desses territórios, agora a Indonésia? Preferia, cem vezes, a Madeira!

Um abraço!

Frankenstein da Silva disse...

Caríssimo,

Informo que achei o blog minimamente aceitável. E que tomei a liberdade de anexar um artigo da sua autoria no blog:

www.doca-dos-aflitos.blogspot.com

Espero que não leve a mal. Passe por lá; a porta está sempre aberta. E deixe-nos uma mensagem.
Abraços,

Capitão IGLO