segunda-feira, outubro 31, 2005

Temperaturas

Todos os anos se observa, por todo o país, um curioso fenómeno: A interpretação da temperatura efectuada pelos nossos cidadãos varia com o calendário! Se numa noite de Agosto, 25º chegam e sobram para uma camisa de alças e um calção florido, numa tarde de Novembro não evitam que por esses armários fora se dê o êxodo de camisas interiores, camisas de flanela, blusas de lã, sobrecasacas e calças de forte fazenda! Se antes ao pé chegava o chinelo, agora exige meia grossa e bota forte para os mesmos vinte e poucos graus!

domingo, outubro 30, 2005

Sala dos Fumos

A minha condição de invertebrado, já conhecida do leitor do Meia Livraria, devolveu-me ao grupo dos fumadores há algum tempo atrás. Após cerca de ano e meio sem fumar, consumindo durante mais de metade desse período pastilhas de nicotina, claudiquei e verguei-me ante o poderoso chamamento dos prazeres do fumo. A prazo, convenço-me, mas fumando sempre.

Esta introdução leva-me ao tema do presente artigo: A Sala dos Fumos. Trata-se de uma invenção dos anos 90, data dos tempos do nascimento do fenómeno do fundamentalismo anti-tabagista, e é, nem mais nem menos, que um qualquer recinto em lugares públicos ou locais de trabalho, onde é permitido fumar. Lugares lúgubres, dantescos e sinistros que, não obstante, me fazem abastardar um poema do maior trovador português: O Jorge Palma (um abraço para ti, pá, se estiveres a ler isto).

Então cá vai: "Na sala dos fumos podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal; Na sala dos fumos toda a gente trata a gente toda por igual(...)"

sábado, outubro 29, 2005

Plátanos e o Método Científico

Fiz uma interessante descoberta no campo da botânica e da zoologia, de forma acidental, mas justificadamente científica: O plátano tem um efeito fortemente laxante sobre o passer domesticus, vulgo pardal (Tese). Vejamos o desenrolar do método científico:

Problema: O carro está cheio de dejectos de pardal.

Hipótese: Os pardais, vítimas de um poderoso efeito laxante, não se seguram, mesmo sabendo que existem carros por baixo onde pernoitam.

Experiência: Durante várias noites, estacionei o carro sob diversos tipos de árvore: salgueiros, plátanos e choupos, tendo anotado os resultados pela manhã.

Análise: Comparando os resultados do processo experimental, concluí que era sob os plátanos que os efeitos se mostravam mais devastadores. O resultado final revelou ser verdadeira a tese inicial.

Corolário: A probabilidade de se encontrar lugar para estacionar debaixo de um plátano é superior à de conseguir estacionar debaixo de qualquer outra árvore ou a céu aberto.

sexta-feira, outubro 28, 2005

Fundamentalismo no Irão

A situação é realmente preocupante. O alarme em toda a região é compreensível e necessário. Trata-se de um dos países mais conservadores do planeta. Mesmo as forças da chamada esquerda são constituidas por perigosos fundamentalistas, presos a conceitos medievais e saudosos do bom e velho obscurantismo. Se assim é com os de esquerda, o que dizer dos que se assumem de direita.

A verdade é só uma, o país é de direita e sempre assim foi. Talvez a sua condição periférica lhe force as gentes ao retrocesso civilizacional. Provavelmente, nem o seu glorioso passado, progressista em fugazes e inesquecíveis momentos, funcionará a favor de uma libertação das mentalidades, de um aumento sensível da inteligência dos povos. Neste país, há um governo de esquerda que quer manter atrás das grades as mulheres que ousem interromper a sua gravidez. E não é por Alá. É por Deus nosso Senhor... o Deus Ultramontano das Beiras e dos ermos mais escondidos deste país que não é, mas podia ser, o Irão.

quinta-feira, outubro 27, 2005

Silogismos

Parece-me evidente a validade do seguinte silogismo: Sendo o riso sintoma indiscutível da inteligência (os nossos amigos animais, menos inteligentes que a maior parte dos humanos, não possuem a faculdade de rir) e sabendo que os tipos sem sentido de humor riem pouco, ou nada, conclui-se que quem se leva muito a sério é uma bem acabada besta.

Antes de o leitor se lembrar da hiena, lembro-o eu que essa observação seria inequivocamente feita por alguém que leva a sua sabedoria demasiado a sério.

quarta-feira, outubro 26, 2005

Trocadilhos

A língua inglesa, que nos deu o workshop e o body lotion, dá-nos também bonitos trocadilhos. Foi na última "New in Chess", publicação holandesa escrita em inglês, que descobri a pérola que agora revelo.

Um dos artigos da revista, relatando a estrondosa vitória do jovem chinês Wang Hao no torneio aberto de Kuala Lumpur, trazia o seguinte título: How Wang Hao Won.

Por cá, temos o rato que roeu a rolha e pouco mais. Mas temos "torneio aberto"! Não precisámos de recorrer ao open, como o leitor mais atento reparou.

terça-feira, outubro 25, 2005

Tesouros

Em Portugal existirá algum tesouro escondido? Alguma preciosa relíquia ocultada sobre os contrafortes de uma igreja do século XII? Terá Manuel I escondido algum ouro nas catacumbas do palácio onde hoje funciona a Embaixada da França? Será Duarte Pio guardião de algum mapa antigo, que indique a localização de um qualquer el-dourado em Timor? Não haverá nada destas coisas em Portugal?

Talvez por isso, por não haver, Pratt nunca cá nos mandou Corto Maltese. Nem sequer o Rasputine.


Ao menos, o Rasputine!

segunda-feira, outubro 24, 2005

Calos

A melhor maneira de ter dedos calejados na mão esquerda não é a que o leitor está a pensar. Nada de enxadas e sacholas, nada de mondas manuais e dactilografias em vetustas máquinas pesadas e barulhentas. Não pense sequer o leitor em banqueiros canhotos, barrigudos, carecas e luzídios, entretidos horas a fio na bonita arte de contar dinheiro.

Nada disso, caro leitor: Se quer belos calos nos dedos da sua mão esquerda, perca a vergonha e inscreva-se numa escola de música: Aprenda a tocar guitarra.

domingo, outubro 23, 2005

A Livraria Invisível

Para os que gostam de livros, daqueles que existem e dos outros, dos que só estão no grande universo intertextual, recomendo uma visita à Invisible Library. Nesta página está disponível uma imensa lista de livros que só existem dentro de outros livros.

Lá se encontra o clássico "The God of the Labyrinth" de Herbert Quain... que só exite na imaginação de Borges e no barco que trouxe o Ricardo Reis do Brasil para Portugal. No ano da sua morte, contado por Saramago. Deste último não fala a Livraria Invisível. Por enquanto.

sábado, outubro 22, 2005

Se...

Se de 3 salsichas iguais se faz uma vista, se de 3 vidas gastas se faz uma verdade, se de 3 mentiras se faz um salto de papagaio imortal... então não percamos mais tempo!

sexta-feira, outubro 21, 2005

Presidenciais

O Grande Pensador e Humanista Cavaco Silva apresentou ontem a sua candidatura às presidenciais. De ministro das finanças a primeiro ministro, o economista algarvio tenta agora, pela segunda vez, ocupar o palácio de Belém. Compete para tal com Mário Soares, Manuel Alegre, Jerónimo de Sousa, Francisco Louçã, Garcia Pereira e, penso que com Carmelinda Pereira também. Faltam Manuel João Vieira e José Maria Martins a tão ilustre lote.

São estes os primeiros entre iguais, é deste naipe que sairá o futuro Presidente da República Portuguesa. É interessante verificar que, após 31 anos de democracia temos um candidato do PCP, outro do PSR (agora BE), mais um do MRPP, uma do POUS, um da rádio de Argel, o Soares e um ministro de Sá Carneiro. Só falta o Otelo!


Só faltas tu, Otelo!

quinta-feira, outubro 20, 2005

Troféus

Em San Luis, na Argentina, onde se jogou o campeonato do Mundo de Xadrez, o campeão cessante, Kasimjanov, recebeu o seu troféu, que representa uma figura algo preocupante nos dias que correm. Simboliza o título que veio, não se sabe bem de onde, e que foi, tal como veio.


Kasimjanov com o seu troféu. "Ai dos vencidos!"

Topalov, o novo campeão, recebeu algo um pouco mais pesado, onde pode guardar dezenas de vacinas anti-gripe.


O campeão com o seu prémio.

O campeão teve direito ainda a dois outros troféus, bem mais elegantes, para que não se esqueça que foi na Argentina que se fez campeão (tal como Alekhine em 1927).


Prepara-se um duelo "à navalha".


O tango, claro!

quarta-feira, outubro 19, 2005

A Época das Pandemias

Depois da época dos fogos, começa a época das pandemias. Agora temos a gripe das aves, tal como no ano passado, se bem me lembro. Antes tivémos o vírus Ebola, a febre aftosa humana, a gripe asiática (SARS), também a BSE, vulgo "doença das vacas loucas", em suma, um sortido de maleitas várias, fazendo anualmente, por alturas de Outubro, renascer o velho e sinistro espectro da Peste Negra.

Alimento indispensável ao imaginário colectivo das massas, o medo comum une e conforta as almas vulneráveis: Transforma-se o perigo real num sinistro e adorado folclore, numa catarse colectiva. Podem assim as gentes, agora soltas do espartilho moral que as obriga à integridade aparente, gemer e partilhar o eterno medo da morte, sempre mal resolvido por religiões e seitas várias. Ainda assim, bendita seja a Peste que a todos une em torno da Igreja!

Agora despoletou a verdadeira febre: Correm os aflitos às farmácias em busca da panaceia, do remédio, do preparado alquímico que os manterá vivos, num prolongamento às vezes doloroso da sua existência: Justificada, na própria fuga, pelo fim que adiam. Dilatam assim, esperançosos, o prazo de entrega das suas almas subnutridas ao Criador em que não acreditam.

terça-feira, outubro 18, 2005

Errata

Num destes dias, publiquei um artigo a que chamei Autárquicas 2005 (1) em que dava conta de uma esmagadora vitória eleitoral da CDU em terras de Mondim de Basto. Por lamentável lapso ou por subversiva contra-informação, à maneira da CIA, (que todos sabem ser quem mexia, e talvez ainda mexa, os cordelinhos do MRPP) os dados que apresentei nesse artigo estão trocados!

De facto, não foi a CDU que ultrapassou o MRPP, foi exactamente o inverso! Não foi Jerónimo quem cantou vitória sobre o PCTP de Durão e Pacheco, foi Garcia Pereira quem derrotou a esquerda stalinista! O espírito revolucionário albanês continua vivo e de saúde em Trás-os-Montes!

O leitor, pouco habituado a falhas no Meia Livraria, estará já intrigado e perguntar-se-á: "Que se terá passado? Movimentos da CIA? Interferências do KGB? Agentes infiltrados? Talvez o MI5 ou MI6 se esteja a intrometer, sempre com vontade de passar a perna aos americanos?"

Se estas dúvidas o intrigam, caro leitor, se lhe agradam estes temas: remeto-o para um qualquer autor da especialidade. Eles fazem com que todo esse mundo exista muito melhor que eu! Ou perguntem a um homem do Norte!

segunda-feira, outubro 17, 2005

O Roy e o Ben

Ainda a propósito do último artigo do Meia Livraria, lembrei-me de um episódio que se passou na FNAC do Chiado que quero agora partilhar convosco.

Após exaustivas buscas nas prateleiras da música alternativa (denominação que nunca compreendi totalmente) e de música anglo-saxónica, desisti da minha demanda pela discografia de Roy Harper. Decidi contactar um funcionário da casa. Encontrei uma moça de colete verde e dourado e perguntei-lhe inocentemente: "Temos, porventura, algum álbum do Roy Harper?"



Dirigimo-nos a um computador onde a menina, após alguma pesquisa, me dirigiu a palavra para dizer: "Roy Harper não devemos ter... mas temos muitos álbuns do Ben Harper!"

Respondi-lhe que, apesar de plausível, a sua alternativa não satisfazia os meus caprichosos desejos, mesmo sabendo que, por razões evidentes, tanto faria levar o Ben como o Roy. Mesmo assim, insisti no Roy.

Lá chamou um colega (deve-lhe ter dito que estava ali um tipo muito complicado) que desencantou de alguma obscura prateleira ou armazém um álbum do Roy Harper. Vendo o ar melindrado da colega, por pouco não trouxe também um ou outro disco do Ben. Só o efeito destrutivo da voz demasiado cruel do norte-americano me demoveu desse cristão gesto.


Ben. O irmão que Roy nunca teve.

domingo, outubro 16, 2005

Novo "Astérix"

Saíu no dia 14 de Outubro o 33º álbum das aventuras de Astérix, "Le Ciel lui Tombe sur la Tête". Também nesta ocasião se abriram as livrarias à meia-noite, seguindo-se assim a moda criada pelas patetices de Harry Potter! Sempre serve para a rapaziada que trabalha nas grandes livrarias ganhar umas horas extra, ou assim espero. Imagino a inveja que os colegas do corpo de funcionários da FNAC, os que trabalham na Mango e na Zara, nutrirão pelos das livrarias! Afinal, qual a diferença entre saber se existe aquele vestido cor-de-rosinha em tamanho XXL e saber em que estante está o último do Paulo Coelho? Mais difícil será aviar um "BigMac" em termos!


Astérix e Obélix: Responsáveis pela formação da minha personalidade.

sábado, outubro 15, 2005

Harold Pinter

No dia 13 de Outubro, Harold Pinter foi galardoado com o prémio Nobel da literatura. Sobre o autor e a sua obra já muito os jornais escreveram, por isso, quero deixar aqui no Meia Livraria apenas uma carta escrita pelo dramaturgo inglês ao então Presidente da CM Lisboa, o Dr. Santana Lopes, aquando do arbitrário e absolutamente acéfalo encerramento do Centro de Artes d'a Capital em 2002:

"Dear Mayor,

I am deeply disturbed at the news of the closure of A Capital in Lisbon. A Capital is clearly one of the most important artistic centres in Europe. Its imaginative work and its integrity have been an inspiration to many people. The closure is not only shocking but inexplicable. I would be grateful if you would make a clear public statement as to the reasons behind this action.

Yours sincerely,
Harold Pinter"


Harold Pinter.

Esta carta, entre outras, escritas por diversas e ilustres figuras do mundo do teatro e não só, pode ser lida no espaço dos Artistas Unidos.

Honra seja feita ao Dr. Santana Lopes: Qual super-vilão da Marvel, é o arqui-inimigo de tudo o que é cultura, inteligência e civilização. É, atestam-no dois galardoados Nobel, uma acabada besta! Onde houver um cretino atentado contra a cultura, ele está lá, ufano, auto-satisfeito na sua condição de menoridade intelectual, caricatura burlesca do pequeno burguês, sublimada até à anulação total e devastadora do que é humano, com os seus olhos bovinando de tanta imbecilidade, ruminando a sua cosmovisão canhestra e limitada de uma criatura digna de pena se inofensiva. Como ataca e destrói o que é luz, o que é saber, o que é humano, a ele as penas e o alcatrão!


O Iluminado Santana Lopes.

sexta-feira, outubro 14, 2005

"La Topadora" Topalov

Termina hoje o Campeonato do Mundo de Xadrez, em San Luis, na Argentina. Com um total de oito participantes, a prova disputa-se num sistema de "todos contra todos" a duas voltas, ou seja, cada participante efectuará um total de catorze partidas. O evento, organizado pela Federação Internacional de Xadrez (FIDE) pretende reunificar o título de Campeão do Mundo, pondo fim à confusão instalada no universo xadrezístico desde 1993, com o célebre episódio protagonizado por Kasparov e Short.

Para quem não se lembra, em 1993, Kasparov era o campeão em título e Nigel Short havia derrotado Karpov na final do torneio de candidatos, ganhando assim o direito de desafiar o Campeão. No entanto, divergências relacionadas com verbas, levaram Kasparov e Short, que conseguiram um fundo de prémios superior ao obtido pela FIDE, através de uma organização criada para o efeito e entretanto extinta: a PCA (Professional Chess Association), a não participar na prova máxima da FIDE. O braço de ferro entre Campomanes (na altura, o presidente da FIDE) e Kasparov não se desfez e este último, juntamente com Short, abandonou a FIDE, realizando-se assim o seu match "privado". Esse encontro, ganho por Kasparov, ficou celebrizado pela frase de Kasparov: "It will be a match with Short, and it will be a short match!". Um engraçado trocadilho do grande campeão, Garry "Monstro de Baku" Kasparov.

A FIDE continuou o seu caminho e, dada a desistência de campeão e candidato, repescou o finalista derrotado do torneio de candidatos, o lendário Anatoly Karpov, e o semi-finalista derrotado por Nigel Short, o holandês Jan Timman, um das mais interessantes e profícuas personagens do Xadrez actual. Esse match, entre Karpov e Timman, ditou a vitória do russo que assim ostentou novamente (havia sido campeão entre 1975 e 1985) o título máximo do Xadrez. Assim, o panorama escaquístico ficou com dois campeões: Karpov e Kasparov.

A FIDE continuou a organizar o campeonato do mundo, tendo entretanto sido campeões o indiano Anand, o russo Khalifman, o ucraniano Ponomariov e, finalmente, o uzbeque Kasimjanov. Paralelamente, no campo oficioso, Kasparov foi derrotado em 2001 pelo seu compatriota Kramnik, terminando assim o reinado de invencibilidade do Monstro de Baku. Entretanto, ao longo de todos estes anos, muito se fez por reunificar o título, tendo a última tentativa sido a de organizar uma espécie de torneio de candidatos em Dortmund, com os melhores jogadores da actualidade, jogando depois o vencedor dessa prova, Leko, um match contra o campeão oficioso Kramnik, consistindo esse encontro numa semi-final. A outra semi-final seria jogada entre Kasparov e Ponomariov, na altura, o campeão da FIDE. Kramnik jogou recentemente contra o húngaro Leko, conseguindo, um pouco aflito, empatar o match (resultado que favorecia, e favoreceu, o russo), num encontro pouco entusiasmante, dado o estilo pouco empreendedor e quase "comercial" de ambos os jogadores. Infelizmente, por razões várias, o encontro entre Kasparov e Ponomariov não se chegou a realizar. Terá sido por isso que, há uns meses atrás, Kasparov anunciou a sua retirada da competição.

Finalmente, a FIDE convidou para este torneio o campeão FIDE e o finalista derrotado(Kasimjanov e Topalov, que perdeu a final do campeonato do mundo de 2004), Kramnik e Leko (os dois homens do "oficioso") e quatro jogadores escolhidos entre a élite mundial de acordo com um conjunto mais ou menos justificado de critérios. Kramnik recusou, afirmando esperar pelo vencedor desta prova para defender o título, naquilo que se poderá confundir com uma fuga, infelizmente típica na História do Xadrez (esconderam o título quanto puderam Lasker, Capablanca, Alekhine...). Desta vez, Kramnik não terá sorte nenhuma: Foi convidado, não aceitou, paciência.

O Campeonato do Mundo que hoje termina conta assim com a participação de Veselin Topalov da Bulgária, Vishy Anand da Índia, Judit Polgar e Petar Leko da Hungria, Svidler e Morozevich da Rússia, Kasimjanov do Uzbequistão e Michael Adams de Inglaterra. De fora ficaram nomes como Ivanchuk, Shirov, Ponomariov, Kramnik e Kasparov, mas o conjunto de jogadores em prova garantem a qualidade de um Campeonato do Mundo.

Na primeira volta da prova, Topalov dizimou por completo a concorrência, fazendo lembrar o lendário Fischer nos seus melhores anos, empatando apenas uma partida e vencendo todas as outras: Algo de pouco habitual num torneio desta força! Absolutamente sensacional, a performance de "La Topadora" (Bulldozzer em castelhano) na primeira parte do evento. O búlgaro, residente em Salamanca, geriu a sua enorme vantagem ante os mais directos opositores, Anand e Svidler, tendo garantido, com uma sequência de seis empates, o primeiro lugar a uma jornada do fim. Anote-se que Topalov sempre foi o jogador que mais lutou, tendo as suas partidas ao longo da prova sido sempre as últimas a terminar, acumulando por isso mais cansaço (uma partida dura habitualmente três a cinco horas, tendo Topalov jogado bastantes acima da sexta hora), explicando-se assim a aparente quebra na segunda volta.

Em suma, o Xadrez encontrou o seu Campeão: Veselin Topalov.


O Campeão do Mundo: Veselin TOPALOV

Por último, um dado curioso: A última partida jogada por Kasparov na sua carreira foi contra Topalov em Linares, Espanha, ainda em 2005. Kasparov perdeu, tendo sido "apanhado" pelo búlgaro no primeiro lugar do mais importante torneio do calendário xadrezístico. Por um critério de desempate algo estranho, Kasparov foi aclamado vencedor da prova, mas teve de repartir o dinheiro com o búlgaro. Após essa derrota, o russo fez a sua célebre declaração de abandono da competição. Premonitório, este Kasparov!

quinta-feira, outubro 13, 2005

O Mistério das Carrinhas Brancas

Quem palmilha as estradas nacionais decerto conhecerá o Mistério da Carrinha Branca. Lendário já por toda a Europa, o fenómeno, de difícil explicação, apavora o pacato automibilista lusitano e provoca danos irreversíveis no trato intestinal dos restantes cidadãos comunitários que, por lapso ou genuína ignorância, se atrevem a utilizar o automóvel em Portugal. No entanto, aos extra-comunitários, e sem que nada o explique, o fenómeno parece não espantar.

E que fenómeno é esse, perguntará o funcionário da repartição de finanças do Arco do Cego, que há vinte anos se desloca de casa para o serviço de comboio desde Massamá até Lisboa e que vence a restante légua a cavalo do metropolitano? Para si, Sr. Lopes, serve este artigo!

Um qualquer cidadão, pacato, anódino eleitor do PS, calmo bebedor de minis na tasca, visionador atento de futebóis e até de novelas, com a desculpa esfarrapada de estar de olho nas actrizes, transforma-se misteriosamente quando a bordo de uma carrinha. Mas não de um qualquer furgão: só se manifesta o fenómeno se a viatura estiver pintada de branco! Eis o insólito e improvável de todo o Mistério!

É vê-los ultrapassando pela direita, ao leme das suas "Vito", buzinantes e velozes! Não raro tem o fleumático bigodaças do BMW que saltar da frente dum desses coriscos brancos, quando lhes sente o pára-choques no perímetro de apito do seu 720: Levando o empresário a amaldiçoar a hora em que empregou o subsídio para a criação de novos empregos e para a formação profissional nesta postiça bomba! Mais valia ter comprado uma "Vivaro" branca!

Porquê a côr branca? Qual o efeito que essa nuance cromática tem sobre o condutor? Como atingem essas viaturas as vertiginosas velocidades que a todos espanta? É nestas perguntas, e neste desafio, que reside o alimento para a alma que vos deixa hoje o Meia Livraria!

quarta-feira, outubro 12, 2005

Autárquicas 2005 (2)

Como pode um provinciano puro, genuíno, queiroziano até, como o comum escalabitano, recusar os destinos da sua terra ao homem que lhe preenche a alma e o serão com as suas bonitas novelas, que a todos fazem rir e chorar?

Um senhor tão bem falante, que não só aparece na televisão como escreve televisão, que sabe tudo sobre o crime - tema predilecto dos leitores do inefável Correio da Manhã e do didático "24 Horas" - como lhe resistir? Chiça, o homem tem tudo! Sabe de novelas e conhece o crime... De que estará Moita Flores à espera? Candidate-se imediatamente à Presidência da República! Prometa acabar com a pedofilia e introduzir a cadeira "Morangos com Açúcar" nas universidades. Escolha alguém que decifre o "Su-Doku" e que deite búzios, ponha-o a mandatário e vai ver que ganha! Avance, homem!

segunda-feira, outubro 10, 2005

Autárquicas 2005 (1)

Foi finalmente quebrado o "Enguiço de Mondim" pela CDU! No concelho de Mondim de Basto, nas últimas autárquicas, o PCTP MRPP com 31 votos esmagou a CDU com apenas 7, tornando-se um dos principais motivos de orgulho para Garcia Pereira a nível de poder local. "Mais do quádruplo dos votos desse partido de direita", terá exclamado o homem mais candidato de todos os europeus.

No entanto, ontem, fez-se história em Mondim! A CDU conseguiu 22 votos em todo o concelho, ultrapassando não só o MRPP (com 18 votos), como o MPT (com outros 18 votos). "A triplicação dos votos em Mondim mostra a força que os ideais sociais e comunistas possuem naquela região do país!", afirmou, afoito e afónico, Jerónimo de Sousa no rescaldo da noite eleitoral. "Este sucesso só será comparável à conquista da CM Peniche pela Coligação!", acrescentou.

domingo, outubro 09, 2005

Apuramentos

Ontem, a Selecção Nacional do Jogo do Futebol conseguiu apurar-se para o Campeonato do Mundo a realizar na Grande Alemanha no próximo ano! Razão cheia para folguedos, arrombas e foguetório, risos incontidos, esvaziamento de pipas, enxamerdeamento das ruas do Bairro Alto! Mas nada disso aconteceu!

Os foguetes ficaram em terra, o folguedo deu lugar à ansiedade e ficaram as pipas a meio. Pelas ruas do Bairro Alto, os olhos dos goliardos fixavam-se no pavimento das ruas, estranhamente impoluto. Na Rua da Rosa, nem um copo de plástico no chão. Na do Diário de Notícias, nem o mais leve aroma de urina, mesmo os jorros amarelos, fulgurantes e sulfúricos, pararam na Rua do Norte: Angola também se apurara para o Mundial!

Recordados do jogo amigável de há um par de anos, os lusitanos temem agora pela vida dos seus melhores jogadores de Futebol! Ansiosos, aguardam o sorteio dos grupos que, num dia aziago, poderão ditar a sentença letal a Figo e companhia. Calhem os palancas aos herdeiros dos magriços e, é sabido, jorrará sangue da indómita e cavalheiresca pátria de Pessoa e de El Rei Dom João II.

O mostrengo que está no fim do mar fará das dele, assim apanhe, incautos, os da Lusitânia. Espero, no entanto, que se necessário for, por três que sejam as vezes que se soltem as mãos do nosso homem do leme, por outras três as reprenda. E que diga, mesmo tremendo, quem ele é, e quem nele manda.

sexta-feira, outubro 07, 2005

Coerência Invertebrada

Mostrando-me coerente com o meu último artigo, dada a quantidade de comentários que recebi, todos eles muito agradáveis, aproveito a minha ausência de coluna vertebral para voltar ao Meia Livraria. Confesso que principiava a custar-me a falta deste espaço.

Agradeço-vos sinceramente estes comentários: Vale a pena estar aqui. Obrigado.

domingo, outubro 02, 2005

Critério de Paragem

Doze dias com dois comentários. A média estima-se agora em 1/6 de comentário por dia, cerca de um por semana. Atinge-se assim o critério de paragem deste blogue. Quase dois anos de Meia Livraria findam assim. Por falta de comparência. Até um destes dias.