sábado, dezembro 31, 2005

Deixar de Fumar

Vivo perto de uma churrascaria. Todos os dias, após o jantar, vou à varanda fumar um cigarro. A mistura do cheiro do tabaco com o aroma leve de frango assado e com o cheiro próprio das cidades dilata-me a existência. Em dias bons, também eu trago artificiais cheiros que se trocam com os outros, enfatizando, ao mirar a torre de uma moderna igreja e a metade da cidade que um 4º andar permite ver, a magia do momento: Magia só permitida, claro, pela especial luminosidade de uma lua certa.

Como posso deixar (novamente) de fumar?

Pacientemente, aguardo pelo fecho da casa dos frangos para firmar a dura decisão.

Claro.

sexta-feira, dezembro 30, 2005

Escritores

Não há escritores maus. Só escritores que leram pouco. Escritores que leram poucos livros escritos por escritores que leram muitos livros. Escritos por outros escritores que também leram muitos livros e assim sucessivamente.

Não é fácil entender a teoria literária e o anterior parágrafo é disso prova cabal.

quarta-feira, dezembro 28, 2005

Boas e Más Notícias

Já que os meios de comunicação formais se esquecem de dar as boas notícias, dá-as o Meia Livraria: A Seca acabou! Choveu na altura certa, em boa quantidade, e chove agora.

Saíram as gentes à rua? Dançaram embriagadas nas praças das nossas cidades? Cantaram e pularam? Que fizeram as nossas gentes, tão assustadas no Verão com a Seca, para comemorar os dias de fartura que aí vêm? Quantas velas foram acesas em honra de NS Fátima? Sacrificou-se algum porco, matou-se algum boi? Fizeram-se libações? Não.

Viu-se um pouco de novela, falou-se de futebol, acompanhou-se a "primeira companhia" da TVI, vibrou-se com as vidas das celebridades portuguesas e estrangeiras, comentou-se o nascimento de Leonor, infanta de Espanha, chorou-se e riu-se com as tropelias da nossa juventude nos "Morangos com Açúcar". Comeu-se, bebeu-se, fizeram-se as necessidades básicas da condição humana (para os leitores do 24 horas traduzo: cagou-se e mijou-se).

Pode-se então chegar à triste conclusão: O nosso povo é viciado em desgraça e tristeza. Alimenta-se de fado. Triste, vulgar e feio fado. Seriam más se fossem notícias. Mas não são. É coisa velha.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

Natais de um Blogue Ateu

Por ser ateu, este blogue não deseja aos seus leitores um bom Natal. Também não deseja a todos vós festas felizes na companhia dos vossos familiares e amigos!

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Toques de Telemóvel

Hoje, na fila do supermercado, tocou um telemóvel. E que pensa o leitor que soou? A nova da Madonna? Uma modinha dos ABBA? Algo de Emanuel ou Tóni Carreira? Nada disso. Soou a "Carvalhesa" que é uma espécie de hino festivo do PCP.

Estivesse o Ribeiro e Castro naquele supermercado e ter-se-ia mandado imediatamente para o chão gritando: "Fujam! Vai explodir! É um atentado terrorista!"


"São eles! Os comunas! Fujam!"

segunda-feira, dezembro 19, 2005

Encantos

Para José Afonso, o desencanto mais não é que uma boa desculpa para os traidores. Para os que atraiçoam o Sonho e a Esperança. Talvez por isso se fique com o coração em brasa quando se escuta a "Balada do Outono".

Águas do rio correndo
Poentes morrendo
P'ras bandas do mar
Águas das fontes calai
Ó ribeiras chorai
Que eu não volto a cantar



O Encantador Zeca Afonso

sábado, dezembro 17, 2005

O Rapto do Menino Jesus

O sinistro desaparecimento do Menino Jesus do presépio de Portalegre causou natural comoção nas populações locais. Polícia, Igreja, Governo Civil, Ministério Público, todas essas entidades tomam agora medidas mais ou menos enérgicas numa tentativa de fazer face ao atentado contra o Bem e contra o próprio Menino!

Entretanto, os populares, culpando os protestantes anglo-saxónicos, retaliaram de imediato: por diversas varandas da cidade de Portalegre podem ser avistados diversos bonecos representando o Pai Natal pendurados. Um espectáculo sinistro, repetido agora um pouco por todo o país. Esperemos que os nossos aliados ingleses nos perdoem pela ofensa e não nos arrestem a armada nem nos bloqueiem o porto de Xabregas.

sexta-feira, dezembro 16, 2005

O Bin Laden é um Malvado

Finalmente Josué poderia voltar à sua terra! Em pleno Inverno de 2003 que bem sabia fugir ao frio de Portugal e regressar ao sol de Cabo Verde! Passou umas semanas com a família, matou saudades e, ao regressar lembrou-se dos amigos que tinha por cá, por Portugal. Vou levar-lhes umas lagostas, pensou!

E assim se apresentou no Aeroporto Amílcar Cabral na ilha do Sal, munido de bagagem e de meia dúzia de lagostas. Ao fazer o "check in" teve um dissabor: "As bagagens vão mas as lagostas ficam!", disse-lhe o funcionário do Aeroporto. Desanimado, Josué perguntou porquê para ouvir: "Desde que o Bin Laden rebentou as torres na América, não se pode transportar marisco nos aviões!"

O funcionário do Aeroporto olhou para a geleira, olhou para o avião que levava Josué para Portugal, já longe, e ficou indeciso. Será que a família conseguiria comer mais lagostas? Na dúvida, levou-as. Na pior das hipóteses dava-as ao porco.

segunda-feira, dezembro 12, 2005

Anjolas!

Portugal é pequeno, pobre e as suas gentes incultas: brutas, cretinizadas por séculos de jugo católico, não têm recursos naturais, não sabem ler nem escrever, nem somar nem subtraír, nem ouvir música, quanto mais fazê-la, em suma, são uma nulidade. Somos provincianos, invejosos, pequeninos e só ligamos ao futebol. Votámos no Isaltino e na Felgueiras, tivémos o Santana a primeiro ministro, estamos irremediavelmente condenados!
Ai de nós!
Poderia muito bem ser o discurso de uma banda punk dos anos 70, mas não! É o eterno diagnóstico dos males portugueses, não obstante o abnegado esforço dos nossos melhores cérebros por alardeá-lo pensando inocentemente que isso bastaria para que algo mudasse.
Anjolas!

domingo, dezembro 11, 2005

Pólux

Todas as grandes superfícies comerciais são más. Menos uma. A Pólux. Sita na baixa lisboeta, na rua dos Fanqueiros (e na da Madalena), tem inúmeras vantagens sobre as concorrentes:

1)Localiza-se numa das mais belas áreas da cidade de Lisboa e, provavelmente, do Mundo inteiro.

2)Não tem site na internet.

3)Não sendo a maior das superfíces comerciais, é a mais alta que conheço: tem 9 pisos.

4)Decorre de 3) que possui, no ultimo piso, uma admirável vista sobre o descrito em 1) ao que se soma no corrente ano o não insignificante bónus da vista sobre a árvore de Natal da Opus Dei.

5)Existem na Pólux almofadas de todas as formas e feitios.

6)Na Pólux rejuvenesce-se 30 anos, pelo menos. Visitá-la é enriquecedor. Visitar o Colombo cretiniza.

7)Faz-se exercício ao subir os 9 lanços de escadas.

Podia enumerar muito mais vantagens da Pólux sobre as suas concorrentes, mas basta-me por ora deitar o adversário por terra. Longe do Meia Livraria está a intenção de acabar com o Colombo e quejandos. Sem eles não poderia fazer as minhas compras nesse lugar mágico que é a Pólux e que é também, fica o leitor a saber, o Natal em-si.

terça-feira, dezembro 06, 2005

Debates e o Vieira

Ontem começou a época do debate televisivo! Cavaco e Alegre protagonizaram um aborrecido momento de televisão. Sem nada para dizer, Alegre nada disse, com pouco para dizer, Cavaco nada disse também. Talvez por nada haver a dizer.

Refresque-se a campanha e apoie-se Manuel João Vieira: O verdadeiro Manuel Alegre!


Vamos Embora Manuel!

sexta-feira, dezembro 02, 2005

Aumentos

Aumentam as taxas de juro na União Europeia! Bom sinal, segundo parece. Significa que o valor do dinheiro aumenta, o que, pela simples lei da oferta e procura, equivalerá a um maior entusiasmo na aquisição desse dinheiro. Mais malta a querer empréstimos, para investir, para formar empresas, para comprar casas e carros, em suma e repito-me: Um bom sinal.

Como Portugal faz parte da dita União Europeia, também por cá se tornará mais caro o dinheiro. Mas onde estão as novas empresas? Onde está a corrida ao dinheiro para carros e casas? No entanto, não há que desanimar: faltam-nos esses pormenores, mas o aumento da taxa já cá canta. Para citar a infinita sabedoria popular: "Uns bebem o vinho, os outros apanham a bubadeira!"