sábado, dezembro 02, 2006

A Lei e Marques Mendes

Um destes dias, Marques Mendes informou o burgo que votaria "Não" no próximo referendo sobre a interrupção voluntária da gravidez. Tal como votou em 1998. Disse que não encontrou razões para alterar o seu sentido de voto. Admito que seja, para Marques Mendes, difícil, impossível, encontrar razões para alterar a lei. Admito até que seja difícil a Marques Mendes encontrar razões para alterar o que quer que seja.

Nada disto seria digno de nota... mas Marques Mendes avançou: é pena que a lei (que é tão boa) não seja cumprida! Esta é a opinião do líder do PSD! Destas inteligentes palavras conclui-se que Marques Mendes tenha pena de não ver as criminosas e ímpias mulheres que cometem o hediondo crime de interromper a sua gravidez atrás das grades! Tem pena que os médicos, enfermeiras e restantes cumplices não vejam agora o Sol aos quadradinhos! Tem talvez ainda mais pena de que brigadas pró-vida do puritano e muito nosso Portugal não invadam as sinistras clínicas de Badajoz e Madrid empunhando paus e atirando pedras! Tem muita pena, o nosso Marques Mendes.

Eu tenho muita pena também. Do nosso Marques Mendes. E, mais ainda, do nosso puritano Portugal. Que Deus nos ajude e guarde!

3 comentários:

Uxka disse...

Há muitos "Marques Mendes" por aí. São aqueles com dinheiro para mandar as filhas ou mulheres ou amantes às ditas clínicas quando é preciso "ajeitar as coisas".
P.Q. os P.

maria_arvore disse...

O Ganda Nóia só está a defender o seu estatuto. Quando todos tiverem as mesmas condições médicas para abortar o que vai distinguir uns portugueses dos outros?... ;))

Bina Ladina disse...

O que não falta neste cú da Europa é gente a pregar hipocrisias!
O Marquito na volta quer defender todos os pequenotes - como eu - do aborto fácil.
As "Senhoras" sempre irão a Espanha, agora as outras pessoas vão ter de esperar.
País de cínicos que quando têm hipótese de escolher, ficam no café a 'buer mins"...