quarta-feira, abril 11, 2007

Importâncias

Não tem importância, mas tem de explicar. O PM é eleito a votos, mas tem de explicar. Assim interveio o Marques Mendes após um bom momento da democracia portuguesa, porventura inédito, em que o Primeiro Ministro aparece na RTP, com os papelinhos na mão, certificados, cartas, tudo, e explicou, mal ou bem, à frente de todos quantos quiseram ver, o seu percurso académico.
Depois da coisa propriamente dita, Sócrates arrastou-se, aliviado, pela repetição das outras coisas, das do governo... a Ota, a Mobilidade Especial (um nome que podia muito bem ser o de uma operação em larga escala, com 2000 homens e 3 caças na Guiné, 1969), a restruturação da rede de urgências... nada de novo, portanto. Mas, de resto, quem queria saber disso? Sócrates foi ali, à televisão pública, explicar ao povo que o elegeu todas as questões relacionadas com a sua formação académica. O outro, o Mendes, quer agora sindicância externa, análise exaustiva, um apuramento mais exaustivo de toda a verdade, dizendo sempre que não é politicamente relevante, mas quer saber melhor.
Sr. Mendes: Se não é politicamente relevante... porque é que não se mete na sua vida? Dessa forma evitaria o suicidio, que cometeu em directo.

Sem comentários: