quinta-feira, junho 28, 2007

Primavera Eterna

As recentes alterações do clima global, carga sinistra que em todas as almas pensantes pesa como pesava em tempos o negro espectro da bomba nuclear, não é, como a sua antecessora atómica, coisa de males absolutos. Com a bomba nuclear, as vantagens enumeradas resumiam-se ao efeito que poderia ter sobre os edifícios: houve um tipo americano importante (não me lembro qual, se alguma vez soube quem fosse) que anunciou com orgulho uma nova bomba que tinha a vantagem de não destruír as construções!

Quanto ao clima, e em particular ao que está a acontecer a Portugal, não posso deixar de me regozijar com estes dez meses seguidos de Primavera! O aquecimento global deu a Portugal um enorme aparelho de ar condicionado! Estaremos perante a Primavera Eterna? Ficarei para sempre com 33 anos? Isto parece o céu muçulmano! Viva a Primavera!

5 comentários:

Uxka disse...

espera... não faltam 7 virgens nesse céu?

Cláudio disse...

Acho que são 70... mas este blogue é de cariz familiar...

spirito disse...

Bienvenu.

São de facto 70, as virgens, e ainda que este blogue tenha um cariz familiar, é bom que a verdade seja aqui uma constante.

Se não dominares a língua de Zidane, a primeira palavra significa, mais ou menos, "ainda bem que reapareçes que já tinha saudades, ainda que este afastamento tenha sido por uma boa causa".

Abraço.

Anónimo disse...

sobre a praia de areia
marcas de passos -
longo é o dia de primavera

Shiki (Japão)

A.Vatares disse...

SONOSCRITO DA PRIMAVERA


Vovitude, verdura da árvore,

Bassidão, sombrio tronco,

Mam eâmi, é o céu!

Putch e Tchapi, passaredo negro.

O perfume numérico das coisas

Exala por entre as árvores.

Velimir Khlébnikov