quinta-feira, abril 26, 2007

Liberdade

Muito se disse pela blogosfera sobre o dia de ontem. O 25 de Abril. Nada poderei acrescentar, nem sequer tenho um boneco com um cravo vermelho para aqui colocar. Mas não se confunda o leitor com a ausência de artigo e cravo no Meia Livraria: a própria existência deste blogue, e do seu, amigo leitor, onde diz o que lhe apetece, deve-se ao mais belo dia da nossa pátria: ao 25 de Abril, o dia em que o povo português ganhou a liberdade. Ao cabo de 831 anos de servidão a este e àquele.

terça-feira, abril 24, 2007

O Grande Líder Pinto da Costa

Ontem comemorou-se o vigésimo quinto aniversário da Serena Liderança do Grande Timoneiro Pinto da Costa, Líder Adorado do FCP. Uma marca espantosa, cheia de títulos, centenas ou mesmo milhares, que a todo o Mundo levaram o nome do FCP e o do seu Amado Pastor.

Se aos 25 anos que leva Pinto da Costa de presidência do FCP somarmos os 20 que já detinha como dirigente no clube, obtemos o bonito resultado de 45 anos de poder! Poucos homens se comparam ao entronizado Pinto da Costa. Apenas o Grande Português Salazar (1932-1968), o espanhol Franco (1939-1975), o mongol Choibalsan (1921-1952), Mobutu Sese Seko (1965-1997) e o inefável etíope Hailé Selassié "Ras Tafari" (1930-1936 e 1941-1974) se podem medir com Jorge Nuno. Mas para que se faça inteira justiça, nenhum desses nomes iguala em luminosidade o Líder do Norte. Com efeito, em minha opinião, só Kim Il-Sung (1948-1994) conseguiu atingir o nível de unanimidade e prestígio que o Poeta do Futebol e Grande Açambarcador de Títulos Pinto da Costa indiscutivelmente possui.

São notáveis as semelhanças entre Kim Il-Sung e Jorge Nuno Pinto da Costa.


Para trás ficam nomes como Hitler, Pol Pot, Mussolini, Enver Hoxha e Rafael Trujillo. Mesmo Pinochet e Ho Chi Min nada foram quando medidos ao lado de Jorge Nuno.

Por tudo isso, deixa o Meia Livraria aqui uma sentida homenagem ao Presidente Iluminado do Futebol Clube do Porto e um alerta: Jorge Nuno! Cuidado com Fidel Castro e Omar Bongo do Gabão. Ainda estão no activo e têm algum avanço. Que Deus lhe dê muita saúde para esta corrida e... continuação!

domingo, abril 22, 2007

O Vidal e o Gonçalves

Há mais de 3 anos, este mesmo blogue, o Meia Livraria, detectou uma estranha tendência nos blogues de direita: o hábito da tirada em inglês! Por dá cá aquela palha, para dizer uma qualquer banalidade, lá está uma "quote" a preceito. Desta vez detectei algo ligeiramente diferente no irritante Portugal do Pequenino: o João Gonçalves não tem no corpo do blogue as medonhas tiradas em inglês (pelo menos nos artigos mais recentes) mas, no cabeçalho do mesmo, por baixo do título (aliás, bem escolhido), apresenta uma frase do Gore Vidal: "Literature, politics, personal responses to people and events... So, herewith, my three states - united."

Nada de muito espantoso, pensará o leitor que, das duas uma, ou não conhece o Gonçalves, ou não conhece o Vidal. Aliás, estes dois senhores têm algo em comum: O Vidal não conhece o Gonçalves e o Gonçalves não conhece o Vidal.

Com efeito, um homem que lê o Equador de um fôlego... um homem cujas ideias se encostam à extrema direita salazarenta... nada tem que ver com Gore Vidal. Talvez tenha encontrado a frase num daqueles livros de citações e, como estava em inglês, pô-la no seu blogue. Deve ser isso. Não obstante... pobre Vidal!

sábado, abril 21, 2007

Reuniões

O PNR esteve prestes a reunir por cá com outras organizações de extrema direita. Não o fez porque o dono do recinto onde se realizaria o encontro lhes retirou, à última hora, o espaço, alegando problemas com a polícia.
No entanto, não deixa de ser estranho que os nossos fascistas moreninhos estivessem dispostos a reunir com rapaziada que os toma por seres inferiores... por essas alemanhas, holandas e franças... Eu, se fosse de extrema direita, só reunia com nacionalistas de Moçambique e do Brasil. Esses, pelo menos, e que eu saiba, nunca nos tiveram na agenda. Já os alemães... estávamos logo a seguir aos ciganos! O forno já estava em brasa!

segunda-feira, abril 16, 2007

Público e Reforços

Numa estatística duvidosa e infundada, mas ainda assim razoável, alvitro que em 100 bloguistas, 98 lerão o Público. Uns sempre, outros às vezes, é certo, mas este será o jornal de referência dos bloguistas. No entanto, um novo reforço deste diário leva-me a reconsiderar esta estatística. A partir de agora, o Público terá 97 leitores no grupo dos 100 bloguistas a que pertenço. Vou passar a ler o agora despoluído Diário de Notícias. Já não anda por lá o meu Dantas: vou experimentar!

(Já acho bem feito o que o Sporting vos fez! Paguem os 75 000 € que dão à justa para o ordenado do Liedson. Pim!)

domingo, abril 15, 2007

Uma Questão de Tomates

Kasparov já na ramona. Imagem do site kasparov.ru.


O melhor xadrezista de sempre _o já retirado (?) Garry Kasparov_ foi preso por dez horas, ontem, em Moscovo. Participava numa manifestação não autorizada contra o presidente russo. Quando se retirou do xadrez (ou melhor, da competição: ele continua o seu trabalho como escritor de livros de xadrez e cronista na mais importante revista da modalidade: New in Chess) Kasparov anunciou que se dedicaria ao combate a Vladimir Putin. E ele aí está: lidera a mais combativa oposição.
Como jogador, Kasparov sempre demonstrou uma coragem inabalável. Como político não mudou a sua habitual conduta e mostra ser um homem com tomates. Desejo-lhe melhor sorte do que a tiveram os anteriores campeões, sempre desacreditados no que fizeram das suas vidas pós-xadrez. Talvez por nunca terem conseguido convencer o vulgo que eram mais que campeões de xadrez... As massas não perdoam aos génios. E Putin não perdoa ninguém.

sábado, abril 14, 2007

Que Raio de Pergunta e que Boa Resposta!


Quem lhe terá feito semelhante pedido? Provavelmente ninguém, desconfia o leitor. Mas, admitindo que algum dos seus amigos (ou seguidores) mais galhofeiros lhe tenha realmente pedido que escrevesse sobre o amor, pasme o leitor com o paradigma de desinteresse escolhido por Mexia: a malária na África equatorial! Uma escolha elegante, denunciadora de superior gosto e decididamente elucidativa! É de poeta! De poeta dos bons! Daqueles de pêra! É delicioso, este Mexia!

sexta-feira, abril 13, 2007

Pedro Mexia

Não gosto do Pedro Mexia. E vou dedicar os próximos artigos a atacá-lo. Começo já: como poeta é economista, como economista é poeta popular. Passa os domingos no Chiado a "flanar". Raios o partam e ao grotesco mau gosto que lhe começa na chiba. Vou-me a ele. Aguardem. Vejam o subtítulo do seu blogue: "smoke and mirrors / special effects / a little fear a little sex".

Ao nível das letras do David Fonseca, não? Mais valia, como disse Reininho, rimar Wyona com...

quarta-feira, abril 11, 2007

Importâncias

Não tem importância, mas tem de explicar. O PM é eleito a votos, mas tem de explicar. Assim interveio o Marques Mendes após um bom momento da democracia portuguesa, porventura inédito, em que o Primeiro Ministro aparece na RTP, com os papelinhos na mão, certificados, cartas, tudo, e explicou, mal ou bem, à frente de todos quantos quiseram ver, o seu percurso académico.
Depois da coisa propriamente dita, Sócrates arrastou-se, aliviado, pela repetição das outras coisas, das do governo... a Ota, a Mobilidade Especial (um nome que podia muito bem ser o de uma operação em larga escala, com 2000 homens e 3 caças na Guiné, 1969), a restruturação da rede de urgências... nada de novo, portanto. Mas, de resto, quem queria saber disso? Sócrates foi ali, à televisão pública, explicar ao povo que o elegeu todas as questões relacionadas com a sua formação académica. O outro, o Mendes, quer agora sindicância externa, análise exaustiva, um apuramento mais exaustivo de toda a verdade, dizendo sempre que não é politicamente relevante, mas quer saber melhor.
Sr. Mendes: Se não é politicamente relevante... porque é que não se mete na sua vida? Dessa forma evitaria o suicidio, que cometeu em directo.

terça-feira, abril 10, 2007

O Curso de Sócrates

Anda meio Portugal azafamado com a eventualidade de José Sócrates ter um curso superior de duvidosa validade. Muito me espanta tal azáfama, devo confessar aos leitores. Conhecido por "Engenheiro", título outorgado apenas pela Ordem dos Engenheiros, Sócrates nunca o foi, sendo tal facto público e notório. Não sendo membro da OE, não é engenheiro. Seria apenas licenciado em engenharia civil. De resto, como nunca trabalhou (como engenheiro), nunca tal questão lhe terá causado grande transtorno.

Neste edifício, só como convidado ou visitante poderá Sócrates entrar...

Aquilo que se discute agora é absolutamente enigmático: Sócrates teria um curso de engenharia civil da UNI... Agora descobre-se que talvez tenha havido irregularidades nesse seu curso. Pensarão os cidadãos portugueses que isso tem alguma importância? Que diferença existe entre um curso de engenharia da UNI ou não ter qualquer curso? Pelo amor de deus! É indiferente!

O homem até se ajeita a parlamentar em São Bento, tem mão nos seus ministros, poderia ser um rico padeiro ou um excelente modista. É primeiro-ministro e foi eleito a votos. Engenheiro civil é que ele não é, nunca foi, e nunca sequer ninguém suspeitou que tivesse sido. Tendo sobre o assunto opinião isenta, mas avalizada, informo o leitor que, em Portugal, apenas uma instituição lecciona o curso de engenharia civil (vá, três... a FEUP e Coimbra também, ainda que timidamente): o Instituto Superior Técnico. Vale mais uma cadeirinha foleira de opção do Técnico que 56 da UNI e quejandas.

Deixem-se de pantominas e olhem lá para as maternidades e centros de saude que "eles" andam a encerrar! E para o custo dos remédios: as reformas do magro idoso vão inteirinhas para o bolso do anafado farmacêutico!




(E o resto é paisagem!)


Se querem ser engenheiros, estudem!

domingo, abril 08, 2007

Fórmula 1

Bons tempos em que Schumacher dominava a Fórmula 1. Tudo estava certo!



O Alonso ganhou. O cenário da actual Fórmula 1 torna-se calamitoso para o nosso país. Expulso do circo o Tiago Monteiro, reformado o alemão Schumacher, resta como referência o bi-campeão Fernando Alonso... É certo que o rapaz é Asturiano, de Oviedo, mas ainda assim, espanhol. Não que este blogue tenha o que quer que seja contra Espanha ou espanhóis, mas porque, num país que tem Baltazar como homem mais notável, há que buscar afirmação no lugar do costume: no vizinho. O lugar comum é inevitável e, com o crescente abrutalhamento das nossas gentes, há que dizê-lo: ser português é não ser espanhol.

Esclarecido este ponto, a Fórmula 1, que encantou gerações de portugueses, deixa agora de ter qualquer espécie de interesse para a pátria do Senhor Professor António O. Baltazar. A minha geração dividia-se em senistas e prostistas, havia até manselistas e bergueristas, rendeu-se ao lenitivo consolo da força campeoníssima e irrefutável do alemão Schumacher. Riu-se ainda a minha geração com as divertidas incursões de Lamy e Matos Chaves pelo circo, sofreu com Monteiro e com a sua bonita pêra e inseparável boné e tudo para quê? Para olhar para um tipo chamado Alonso a ganhar aquilo ano após ano?

Ocorre-me agora a tremenda injustiça que caíu sobre os homens que deixaram que o GP de Portugal fugisse. Eles sabíam o que vinha a seguir. Portugal é, afinal de contas, pátria de visionários! Ou não fosse a pátria de Baltazar, dos irmãos Cavaco e do Guarda Abel!

sábado, abril 07, 2007

Curiosa e Brava Luta

Terminou há pouco uma brava e curiosa luta entre um clube, o Sporting, que competia para o título, ainda remoto mas quase certo, de Campeão Nacional do jogo do futebol, e outro, o Braga, que disputava um jogo em cenário à "Blade Runner" ou "Mad Max"... Penso que os atletas do Braga, agora que terminou a partida com uma derrota para as cores minhotas, serão sumariamente abatidos. Assim pareceu pelo empenho, com guarda-redes à avançada e tudo, que essa rapaziada mostrou no final da partida! Brava malta esta e uma Santa Páscoa com ressurreição e tudo é o que lhes desejo, rapazes!

terça-feira, abril 03, 2007

Paulo Bento

Para dar a minha singela colaboração a um dos mais importantes assuntos da sociedade portuguesa, falarei neste artigo de Paulo Bento.

Caso o Sporting vença o campeonato penso que o lema do clube deverá ser adaptado para "Esforço, Dedicação, Devoção, Tranquilidade e Glória!"