segunda-feira, outubro 15, 2007

Clash e Civilization

Há pouco ouvia o "Straight to Hell" dos Clash e lembrei-me das noites em que conquistava o Mundo ao leme do Império Romano no jogo "Civilization": naquela versão inicial, insuperável, do Sid Meier. Corria a primeira metade dos anos 90. Fumava uns cigarritos com a cabeça de fora do quarto e planeava a inevitável invasão do continente americano, com barcos carregados de tanques e diplomatas. Que se lixasse a conquista do espaço, claro, o que eu queria era rebentar com um continente inteiro. Enquanto isso, ouvia o "Combat Rock" inteirinho, injustiçado álbum dos Clash, ouvia também Pixies até à náusea e muito Bob Dylan, esse desde a náusea até à sublime frescura dada pelas "High Water". Venho, ao fim de 15 anos, fazer aqui, no Meia Livraria, uma solene declaração: abdiquei dos meus secretos planos para a conquista do Mundo. Vou concentrar-me num objectivo bem mais singelo mas não menos divertido: a presidência do PSD. O Passos Coelho que se ponha a pau. E, no congresso da minha consagração, após a vitória expressiva nas directas, ouvir-se-á no pavilhão o "Straight to Hell" dos Clash. E talvez faça como o Ângelo Correia e fume um cigarrinho dentro do gimnodesportivo!

Sid Meier: Também daria um óptimo presidente do PSD

domingo, outubro 14, 2007

Formações

Ontem ouvi um interessante discurso sobre as necessidades de formação. O orador disse, sagazmente, que pouco interessaria dar formação em excel e word a funcionários da Santa Casa da Misericórdia que, pelas suas funções, não trabalhem com computadores. Alguém na plateia acrescentou, num rasgo de brilho e perspicácia, que noutra qualquer empresa seria esse esforço igualmente inglório. O orador, concordando com a achega, continuou com outro exemplo: num hotel, todos poderão legitimamente ter formação em alemão e em inglês. Mesmo as "senhoras da limpeza", acrescentou para concretizar: "Quando estão a limpar os quartos, sempre podem ler as revistas que as alemãs e inglesas por lá deixam. Isto não é só ver os bonecos".
Com efeito, o orador tinha razão. Isto não é só ver os bonecos! Uma mensagem profunda que a toda a plateia trouxe um daqueles sagrados e irrepetíveis momentos de reflexão e auto-análise.

sábado, outubro 06, 2007

O Pesadelo Interminável

Quando pensávamos que estávamos livres de Santana, aparece Menezes. E depois, graças à linha editorial da SIC Notícias... até o Santana ressuscita! A pobre jornalista bem disse que a culpa era do Ricardo Costa: num bonito exemplo da clássica solidariedade entre profissionais da televisão. (Lembrar o episódio das "misses" com o Humberto e a Carla Caldeira.)

Temei, cidadãos! Armai-vos! Organizai-vos! Policiem o vizinho e, se o adivinharem menezista, incentivem-no à abstenção. Digam-lhe, e ele cairá nessa, que isso de votar é para parvos. Assegurem assim o funcionamento da democracia e urge começar. Já!

sexta-feira, outubro 05, 2007

Viva a República!

A Bandeira da República Portuguesa faz 97 anos.


Comemora-se hoje o nonagésimo sétimo aniversário da nossa república. Os portugueses passaram a nascer iguais, graças a muitos, claro, mas foi Machado Santos quem desferiu o golpe final na palonça fidalguia. É claro que, nós, os republicanos, sentimos por Buíça e Costa um carinho especial: afinal de contas, deram um importante e saudável contributo para o fim da monarquia. Para o leitor menos informado, lembro que esses dois moços liquidaram o rei Carlos e o seu primogénito Luís no Terreiro do Paço, pertinho da esquadra da PSP. Salvou-se o Manuel 2, famoso oceanógrafo, que teve de marchar para outras latitudes nesta radiante data. Sábios, os republicanos deixaram vivos os nossos fidalgos como penhor eterno da superioridade da República (lembrar Duarte Pio e aquele "marquês" gordo e abichalhado que dantes aparecia na televisão). Enquanto eles andarem por aí, só por chacota se falará em monarquias.
Aqui ao lado, em Espanha, há muito quem sinta asco ao tragar o estatuto de súbdito: de homem que nasceu inferior a outro. Mas lá vão aguentando a fantochada para gáudio de "Holas" e revistetas quejandas.