quinta-feira, agosto 14, 2008

A Refém de Bancos e o Saquito do Dinheiro

Nos últimos noticiários da SIC (tive oportunidade de ver o de ontem, à hora de almoço, em frente a uma das famosas francesinhas de Rio Maior) tem aparecido uma insólita figura, com um não menos insólito cabelo: a Senhora Doutora Refém dos Bandidos Brasileiros.

Mal consegui tragar a francesinha, tamanha era a petulância (que tão bem dizia com o cabelo da Senhora Doutoura), tamanha a tibiez de argumentos e historieta, tamanha a afectação no linguajar, e tamanhos os assobios que a Senhora Doutora emitia ao falar. Sempre tive dificuldades em lidar com pessoas que assobiam ao falar, é certo, mas aquela Senhora conseguiu irritar-me mais do que uma dezena de crianças a correr e a guinhar em biblioteca faria.

Muito injustiçada por não conseguir fazer as suas paciências ("sabe, eu costumo fazer umas paciancias..."), e por ninguém da PSP ou PJ a ter ajudado em tão difícil (deficele) momento, muito traumatizada com a putativa perda do seu putativo saquito do dinheiro, que, afinal, nem era problema, o banco tinha pago o que a Senhora dizia ter no saquito que dizia ter! Após largos minutos a explicar a aventura do saquito do dinheiro, que esperava o telespectador? Que os malvados do banco tivessem usado o dinheiro da Senhora para custear a lavagem dos tapetes do sangue e mioleira dos assaltantes (sabe deus o que isso custa a sair)... mas não! Nada disso! Afinal a Senhora não ficara sem o dinheirinho... Afinal o que queria essa Senhora? Já sei! Queria mostrar o seu lindo cabelo e os seus dotes de assobio. Lembrei-me do "Bom, o Mau e o Vilão" e daqueles assobios fantásticos. Afinal, ainda valeu a pena a Senhora Refém vir à SIC. Que deus a salve e guarde, a ela, ao seu saquito do dinheiro (ou "dinháiro", como a Sr. Dr.ª pronuncia) e ao seu magnífico cabelo!

2 comentários:

Rini Luyks disse...

Parece que aquela senhora visitou muitos estúdios de televisão: à falta (para já) de campeões e campeãs olímpicos/as cria-se outro tipo de heroina, the show must go on.

Reparei no pormenor da "famosa francesinha de Rio Maior", caro Cláudio, será que o atleta improvável vai trocar o folhadinho misto pela francesinha!?
Aiaiai...

Abraço.

Cláudio disse...

Estou mais apostado em ratatouilles! E gratinados de legumes! Eu estou no bom caminho, amigo Rini! Em breve farei blogue de gastronomia!