sexta-feira, abril 25, 2008

Dia da Liberdade

Acabou-se, há 34 anos, a clandestinidade. Puderam descansar as vozes que cantavam neste areal onde não nascia a aurora.

quinta-feira, abril 17, 2008

Carta

Transcrição autêntica da carta existente na Biblioteca Nacional de Lisboa dirigida por Pina Manique, Corregedor de Santarém (e futuro Intendente de Polícia do Marquês de Pombal), ao Duque de Cadaval, Corregedor-Mor da Justiça do Reino:


"Exmo. Sr. Duque de Cadaval:

Se meu nascimento, embora humilde, mas tão digno e honrado como o da mais alta nobreza, me coloca em circunstância de V. Excia. me tratar por TU,- Caguei para mim que nada valho.

Se o alto cargo que exerço, de Corregedor da Justiça do Reino em Santarém, permite a V. Excia., Corregedor Mor da Justiça do Reino, tratar-me acintosamente por TU,- Caguei para o cargo.

Mas, se nem uma nem outra coisa consentem semelhante linguagem, peço a V.Excia. que·me informe com brevidade sobre estas particularidades, pois quero saber ao certo se- devo ou não Cagar para V.Excia."

Santarém, 22 de Outubro de 1795

segunda-feira, abril 07, 2008

Ratos Sedentos

O Rato Sedento encontrou uma pedra vermelha. À noite, ouviu o uivo do Cavalo Velho, atroz como o guincho do Mocho Curvo. Rápido como a Lebre Amarela, pegou na pedra, saltou o riacho ululante, com duas das patas num lado, as outras no outro. Chiou de felicidade quando a Árvore Sem Folhas deixou passar os raios do Sol que Queima a Vista acabado de nascer pela duocentésima vez naquele ano (que agora finava). Entretanto a Matreira Cigarra aguardava pela luz da aurora para render a Sonolenta Formiga. O Rato Sedento, ainda feliz, ajeitou a pedra vermelha que lhe faria guarda todo o dia (sempre e só do lado de cá do riacho) e deixou que o Orfeu dos Ratos o levasse às portas de um miraculoso Hades, onde não chegaria a entrar. O Hades, assim à porta, é aprazível, pensou a pedra vermelha.